Em situações de emergência/catástrofe, que utensílios devo ter comigo – Bug Out Bag

Preparados para uma eventualidade…? … se a resposta é não, comecem já!

Primeiramente, temos de perceber que falaremos aqui de saídas de urgência, fruto de alterações repentinas à rotina diária, e não de saídas programadas. O que levar ? E que rádio levar?

Agora que estamos contextualizados… deve-se diferenciar para que situações queremos estar preparados, o qual irá definir o que se colocará numa mochila.

Neste contexto da Emergência, há vários cenários para os quais nos podemos preparar, como por exemplo, desde estar fora de casa 3 dias, até para viajarmos 300 kms para uma segunda habitação depois de uma crise social na nossa cidade, passando por uma necessidade pontual de nos deslocarmos 50 kms a pé em busca de um determinado medicamento essencial, ou ainda uma outra hipótese, e que cada vez mais é vista como lógica… o podermos apenas querer voltar para casa, que é em primeira análise o nosso “porto seguro”.

Tudo isto depende e passa por uma análise pessoal dos riscos que corremos diariamente na nossa área de residência e trabalho.

Outro considerando importantíssimo, é partir do pressuposto que a deslocação “de casa para fora”, ou “de fora para casa”, poderá ter de ser feita a pé, sem meio de transporte… se houver possibilidade de usar um, ótimo, mas aí será um extra.

Ok, correndo o risco de parecer contraditório, comecemos pelos transportes pessoais.

Para estes, devemos também preparar algumas coisas que estarão sempre na bagageira, adaptadas primeiramente às necessidades do próprio veículo, como peças extra (velas, filtro de ar de preferência adequado para situações de incêndio, filtro de combustível, lâmpadas, fusíveis, etc.), e ferramentas que poderão ajudar a resolver uma avaria durante a fuga/evacuação. Podemos/devemos também ter, nas viaturas, reservas e equipamentos como os das mochilas, em redundância.

Relativamente às mochilas em concreto, e resumindo, há dois grupos essenciais, os BOB, (para sair), e os GHB, (para voltar a casa).

Isto dos nomes é o menos importante, claro, mas é realmente necessário ter definido na nossa cabeça qual a finalidade para a qual criaremos uma mochila -de apoio-, já que há diferenças que tanto podem ser obvias, como num oposto podem passar completamente despercebidas.

Preferencialmente, as diretrizes para a criação tanto da lista de equipamento, como do plano de emergência familiar ou individual, devem ter presentes como auxílio à priorização, uma regra que mostra quanto tempo um Ser Humano pode sobreviver em determinadas situações… a Regra dos 3, com as seguintes alíneas:

  • 3 segundos sem Vigilância (distrações)
  • 3 minutos sem Oxigénio
  • 3 horas sem Regulação Térmica
  • 3 dias sem Água
  • 3 semanas sem Alimentos
  • 3 meses sem Contacto Social
Antes de prosseguir, gostaria de ressalvar que, tudo o que é aqui escrito, tem como intuito ÚNICO e PRIMÁRIO, despertar a consciência para a pesquisa sobre o assunto em questão, adaptando-se à realidade de cada um dos leitores.
Não se pode dizer detalhadamente o que cada um deve colocar numa mochila, mas sim, e apenas, de forma geral e sujeita ainda assim, à análise de cada caso em particular, podendo haver diferenças até, e a título de exemplo, entre as lanternas usadas por duas pessoas… algo que terá a ver com o gosto pessoal de cada um, o orçamento disponível, conforto de utilização, se é prática ou não, etc., etc., etc…
Como forma de orientação, e porque existe muita informação na própria internet, posso referir algo que é generalista e que vocês devem ajustar à vossa realidade, incrementando ou retirando itens:

Mochila

De preferência impermeável e que convém ser o mais confortável possível, mas, que deve ser escolhida só depois de saber o que se vai colocar dentro, e se o peso não a tornará impossível de carregar.
Atenção à qualidade, já que não queremos que se rompa facilmente.
Roupa
adequada ao clima presente, mas contando que podemos encontrar condições muito adversas, mesmo que seja verão.
Confortável, e de preferência técnica, que oferece mais proteção com menos volume.
Calçado de boa qualidade e resistência, -junto à própria mochila-, já que podemos ter de sair a meio da noite de forma repentina, e nos depararmos na rua com o facto de estarmos com a mochila, mas de pantufas, ou pior ainda, descalços.
Luvas grossas de trabalho, e capacete de obras com fixação de queixo, já que a situação pode ser de terremoto, tendo de nos deslocar entre prédios em risco de ruir, e surgindo a necessidade de mover escombros.
  • Máscaras FFP2 ou superiores,
  • roupa interior,
  • meias grossas de lã,
  • calças confortáveis,
  • casaco para frio,
  • poncho,
  • shemagh,
  • bandana grande,
  • chapéu,
  • t-shirts de manga curta e comprida,
  • óculos de sol,
  • óculos de mergulho,
  • colete refletor,

Abrigo

  • Tarp,
  • tenda,
  • saco cama,
  • proteção para o chão,
  • manta,

Fogo

  • isqueiros,
  • fósforos impermeáveis,
  • pederneira,
  • pilha e palha de aço,

Água

  • recipiente para recolher, transportar, e aquecer água, garrafa ou cantil,
  • pastilhas purificadoras,
  • filtro de purificação,

Alimentação

  • refeições de combate,
  • barras de proteína/energéticas,
  • alimentos desidratados,
  • frutos secos,
  • recipiente para aquecer/processar alimentos,
  • talheres,
  • fogão portátil e respetiva reserva energética,

Comunicações

  • fonte de energia alternativa e adequada aos equipamentos usados,
  • telemóvel de backup,
  • rádio recetor com dínamo ou pilhas de reserva,
  • rádio transmissor PMR446 e/ou CB portátil,

Kit Primeiros Socorros

  • bolsa impermeável,
  • máscaras,
  • desinfetante,
  • soro fisiológico,
  • pensos simples,
  • pensos para queimaduras,
  • ligaduras simples, elásticas e triangulares,
  • toalhetes,
  • compressas esterilizadas,
  • fita adesiva,
  • protetor solar,
  • protetor labial,
  • tesoura,
  • luvas,
  • manta isotérmica,
  • medicamentos,
  • termómetro,
  • máscara de sbv,
  • esfignomanómetro,
  • frio instantâneo,
  • bolsas de calor,
  • álcool gel,
  • saco de lixo,
  • agulha,
  • pinça,
  • anti-histamínicos,
  • analgésicos,
  • repelente,

Higiene

  • sabão azul e branco,
  • escova de dentes,
  • pasta dentífrica,
  • espelho,
  • papel higiénico,
  • toalhetes,
  • toalha pequena,
  • lentes de contacto e seu estojo de transporte,
  • líquido de limpeza para lentes de contacto,
  • óculos graduados de reserva,

Iluminação

  • lanterna de dínamo,
  • lanterna de cabeça,
  • mini lanterna,
  • lanterna de luz vermelha,
  • stick luminoso,
  • velas,
  • pilhas ou baterias de reserva,

Navegação/Orientação

  • GPS,
  • bússola,
  • mapas da nossa zona,
  • mapas da zona para onde prevemos ir,
  • binóculos,

Ferramentas

  • multitool,
  • navalha,
  • faca de mato,
  • pequeno machado,
  • pequena alavanca (pé de cabra),
  • óculos de proteção,
  • bastões de caminhada,
  • pá dobrável,
  • serra de mão,

Diversos

  • apito,
  • lanterna laser,
  • espelho de sinalização,
  • luzes químicas,
  • sinalizadores strob,
  • paracord,
  • arame,
  • mosquetões,
  • bloco de notas preferencialmente impermeável,
  • duct tape,
  • sacos reutilizáveis,
  • pequeno kit de costura,
  • pequeno kit de pesca,
  • preservativos,
  • elásticos,
  • abraçadeiras de serrilha,
  • mini alarmes de janela,
  • marcador de tinta não lavável,
  • íman,
  • jogos de mesa em formato miniatura,
  • baralho de cartas,
  • livro,
  • dinheiro em diversos formatos e separado em pequenas quantias,

Documentos

  • bolsa impermeável,
  • documentos pessoais em papel,
  • documentos das viaturas em papel,
  • documentos da casa e demais propriedades em papel,
  • documentos dos animais de estimação em papel,
  • pen com todos os documentos em formato digital,

– Rádios PMR e CB –

Relativamente a rádios recomendo um PMR de boa qualidade, resistente à chuva e com bateria carregada. Um PMR não é garantia de comunicações com sucesso dadas as restrições do seu alcance, mas são pequenos e podem ser utilizados em comunicações locais. Se viajar acompanhado então cada um deve ter um PMR.

O CB (Banda do Cidadão) permite comunicações a muito maior distância, facilmente 5 a 20 Km e em certas condições 100 Km. Não é prático em portátil por serem equipamentos maiores e com antenas pouco eficientes. Recomendo utilização no carro onde deve estar sempre montado.

Crie uma rotina de se manter à escuta, conheça os seus equipamentos rádio e comunique nem que seja para ter noção do alcance nos vários locais onde passa. Siga por exemplo o Plano 3-3-3 no canal 3 do CB, treine e prepare-se.

Esta é uma referência a muitos itens, (sujeita a eventuais alterações), que podem ser colocados nas mochilas de evacuação, podendo e devendo ser ajustados a cada caso.

No caso de querermos preparar por exemplo um Get Home Bag, basta que pensemos naquilo que nos poderia fazer falta/ser útil para voltar a casa, tendo em conta onde passamos os nossos dias de trabalho… se é longe e teremos de passar uma ou duas noites “no caminho”, qual a probabilidade de podermos voltar numa viatura, se teremos de voltar a pé, se o trajeto é urbano ou na natureza, etc., etc., etc…

É impreterível que saibamos usar os equipamentos que temos, que treinemos e simulemos com a família diversas situações, e que tenhamos alguma formação em primeiros socorros.

A PREPARAÇÃO, O CONHECIMENTO, E A PRÁCTICA DITARÃO NA MAIOR PERCENTAGEM SE SEREMOS BEM SUCEDIDOS OU NÃO.  

 

É incontornável o não estarmos sozinhos em tudo isto, criando e mantendo canais de comunicação e pontos de apoio em familiares ou em amigos, de forma a que em caso de emergência, se saiba por onde andamos, o que presumivelmente faremos naquela situação, quais os trajetos que tentaremos seguir e, consequentemente, se aumentem as probabilidades de sermos ajudados!

Incluam-nos no vosso plano de emergência, a todos se possível.

De seguida um link para o canal de um Amigo, que apresenta muito detalhadamente o conteúdo de um EDC GHB.
Aproveitem…
Lembrete:

O Ser Humano não chegou até aqui sozinho, e sim em comunidade.

Texto de: Miguel Franco com o parágrafo Rádios de Miguel Santos
Agradecimentos a Orlando Nascimento pela sugestão de artigo

2 thoughts on “Em situações de emergência/catástrofe, que utensílios devo ter comigo – Bug Out Bag

  • 20 de Outubro, 2020 at 22:19
    Permalink

    Muito bom!
    Ultrapassou largamente as minhas expectativas!
    Muito informativo, e deixa-nos com vontade de pesquisar mais sobre o assunto.
    Excelente trabalho, e o meu obrigado!

    Reply
    • 26 de Outubro, 2020 at 19:07
      Permalink

      Obrigada Orlando pela sugestão do tema. Estamos sempre abertos a sugestões de temas já que nem sempre estamos “inspirados”.

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *