SDR – Rádio Definido por Software

O Macanudos lançou o seu primeiro SDR em Lisboa em Abril, dedicado exclusivamente para a Banda do Cidadão.

SDR1 – Entrar*

Indicativo: 31FASDR1
Localização: Lisboa, Alvalade
Bandas: Banda do Cidadão (27 Mhz)
Slots: 8

SDR2 – Em testes*

Indicativo: 31FASDR2
Localização: A ver
Bandas: Ondas Curtas (1-7 Mhz) (e ainda a decidir)
Slots: 6

* O acesso aos SDR é  público, no entanto por motivos de segurança e disponíbilidade do serviço aos macanudos, deverá usar o seu “pin SDR“. Para tal registe-se neste portal e aceda ao seu perfil. Aí estará visível o “pin SDR” que é a sua senha nos SDRs. O login é realizado usando o email registado no portal e o pin SDR.

 

Um pouco de história, o que é um SDR e quando surgiram os primeiros em Portugal:

O que é um SDR?

SDR é a abreviatura de Software Defined Radio – Rádio Definido por Software  – e consiste no uso de um computador, um digitalizador de RF e respectiva antena, e software adequado para “ouvir” (eventualmente emitir) emissões de rádio. Pode-se comparar SDR a um scanner de rádio, onde os amantes da rádio escuta passam horas a descobrir e ouvir frequências que chegam até à antena, sejam conteúdos de voz ou dados. Tudo isto com um aspeto visual permitindo “ver” o que se passa em toda a banda, o chamado waterfall.

Breve História dos SDR

Tudo começou quando Antti Palosaari, um finlandês que escreve drivers de placas TDT para Linux, descobriu as potencialidades de alguns dongles USB. Concluiu que as placas baseadas num chipset específico – Realtek RTL2832U – eram perfeitamente controláveis e podiam enviar os dados para a aplicação. O primeiro relato da sua descoberta foi publicado em 9 de Fevereiro de 2012.

SDR em Portugal

Em 2013 um projecto de um estudante do ISEL, Filipe Pereira (CR7AFP), estação localizada em Vila Nova de Famalicão, composta por 1 antena Delta Loop de onda completa para os 80m, e um SDR DDC/ADC com 192KHz de amostragem, Servidor Debian com 10 Mbit de upload, em fase de testes, torna-se a primeira referência conhecida de projecto de SDR no nosso país. Mas foi somente em 2017 que o projeto de Filipe Pereira (CR7AFP) foi colocado em funcionamento e aberto ao público. Este projecto conta com a possibilidade de escuta nas faixas de frequências dos 2 metros e dos 80 metros, sendo que já se encontrava prevista a adição de novas faixas, na altura. O receptor em questão permite a receção do espectro entre 10 kHz e 32 MHz por até 4 utilizadores em simultâneo, sendo que um dos acessos se encontra reservado para uso interno.

Mais tarde, surgem outros SDRs um pouco por todo o lado, muitos sem continuidade, e neste momento encontram-se ativos uns 3 ou 4 de que tenhamos conhecimento, sendo que alguns ainda estão em fase de testes.