DeFLoRa

Fonte: Macanudos - Wiki
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Codename[editar]

DefLoRa https://macanudos.org/deflora

[Meshtastic Portugal] Comunidade Portuguesa de Meshtastic

Descrição[editar]

Rede de dispostivos LoRa de troca de mensagens Meshtastic, emergência e localização fora da rede. Sem qualquer dependência da internet. Comunique offgrid ou use a rede como gateway para IoT.

Frequência[editar]

868 Mhz e 433 Mhz (preferencialmente 433 Mhz) – bandas livres. Nos casos em que está ligado por MQTT, poderá do lado do receptor funcionar em 915Mh (EUA), 470 Mhz (ASIA) ou outras bandas. As frequências 868 e 433 Mhz são a frequências reguladas para a união europeia.

Estado[editar]

Em testes com 7 routers e 6 clientes. (15.1.2023)

Cobertura[editar]

Estes equipamentos dependem de linha de vista para conseguir bons resultados. Daí que é expectável que os utilizadores tenham dois rádios destes. Um no telhado de casa, totalmente autónomo, sem necessidade de fio, com mini painel solar. E um segundo dispositivo que é o cliente que envia as mensagens para o router no telhado e que faz chegar a mensagem ao destinatário.

Dispositivos[editar]

Embora existam mais, os Macanudos usam um de três dispositivos: (A) LILYGO® TTGO T Echo, (B) LILYGO® TTGO T-Beam e o (C) LILYGO TTGO LORA32, preferencialmente nos 433Mhz. O T-Echo custa cerca de 80 euros, podendo ter um um custo superior caso escolha a opção com sensor de temperatura e pressão atmosférica, além do GPS de origem. O LILYGO® TTGO T-Beam custa cerca de 50 euros e é o dispositivo mais comum, com WIFI e GPS. A este acrescem uma pilha específica de longa duração e no segundo uma caixa para não andar com o T-Beam sujeito aos elementos. Por fim o dispositivo mais barato, sem GPS é o LILYGO TTGO LORA32 que custa cerca de 30 euros, vem sem GPS embora dê para ligar um externo e, não vem com suporte de bateria.

Nó, Router, Node[editar]

É um router de mensagem pela rede. Um aparelho Meshtastic na sua funçao de rencaminhar mensagens. Recebe e reenvia as mensagens criando uma rede que faz chegar os pacotes ao destino. O Nó é o equipamento crítico para a construção e manutenção desta rede DEFLORA. Os subscritores contribuem na sua implementação e suporte de duas formas: primeiro, comprando e colocando um novelo no telhado de sua casa (Nó Privado) a disposiça da rede, e segundo contribuindo com a taxa de subscrição à rede, no montante de 50 euros que servirá para financiar e manter os Noveloz comunitarios. Os novelos comunitarios e os privados devem ter o seu nome (long name) começado pela localizaçao breviada, ex: LX1 Mike05, ALM1 Macanudos, ou so SNT1.

A Rede[editar]

O objectivo principal da presente rede e servir os subscritores nas suas necessidade particulares. Podem ser necessidades de comunicação fora da rede, actividade de natureza em locais onde nao existe rede telefónica, transmissão digitais de dados de sensores particulares ou outros, monitorização ou controlo de sistemas usando a rede. Por isso a rede assenta na criação e manutenção de odes comunitários (ver abaixo). Tudo usando a rede DeFLoRa, sem qualquer necessidade de internet ou rede movel.


Clientes[editar]

Os clientes sao os aparelhos que nao tem por funçao rencaminhar mensagens ou outros pacotes. Servem interesses particulares para fazer chegar a um outro aparelho pela mesh ou mesmo a uma gateway. Podem ser sensores IoT que pretendem gravar dados na internet (gateway), ou mesmo dentro da rede radio noutros dispositivos; como podem ser pessoas fisicas que estão num canal privado em conversa ou numa actividade de natureza. Os clientes nao sao altruistas. Eles consomem os recursos da rede para satisfazer as suas necessidades. Mas e exatamete para satisfazer esses clientes que a rede DeFLoRa exite. Os aparelhos clientes usam os nodes publicos, os privados, os comunitarios, os links ou mesmo outros clientes para entegar mensagens suas pela rede aos destinatarios finais.

Novelos Comunitários[editar]

Os nodes, novelos ou nós comunitários são dispositivos Meshtastic que estão colocados em locais estratégicos para servirem o maior número de clientes possível. São 100% autónomos, sendo constituidos por: painel solar, controlador de carga e bateria, caixa estanque, antena macanuda, dispositivos Lora32 e cabos. São financiados com os montantes das subscrições.

Novelos Privados[editar]

São exactamente como os nodes comunitários mas são geridos e mantidos pelo cliente. Eles servem principalmente o cliente e por essa razão não podem ser considerados comunitários. Podem não ser autónomos, estando ligado à rede elétrica tradicional, ou ter variantes personalizadas como sensores de temperatura, pressão atmosférica, humidade e muito mais. O node privado por ser dependente do cliente não é considerado como um recurso da rede. Está prevista a compensação aos nodes privados, seja por desconto na subscrição da rede DeFLoRa, seja por creditos de "uptime".

Link Nodes[editar]

São nodes que tem apenas a função de ligar duas zonas remotas. Eles recebem de outros dispositivos longínquos que os proximos nao recebem, porque estão montados com antenas direccionais a ligar a outro node que nao precisa de estar direccional. O problema poe-se quando se tem de dar muitos hops para perceorrer muita distancia de salto em salto. Isso não só cria entropia na a rede tornando-a mais lenta como, ao existir mais dispositivos de salto falhando um quebra-se o link e a mensagens perdem-se. O objectivo dos links é manter ligadas duas zonas.

Deflora Gateway[editar]

É um equipamento em modo de router ou router client cuja função é ser uma porta de saída e entrada para a internet. A sua razão de existir é para ligar duas zonas/redes em locais distanciados. Tal permite à rede saber onde se encontram os dispositivos que saíram do seu alcance assim como ligar duas cidades ou comunidades. Tal é executado usando um servidor privado de MQTT e os dados são apenas enviados para o servidor não recebendo os clientes na zona A, nem os users, nem as mensagens duma zona B. No entanto canais especializados como o 333 ou a rodinha poderão ter ambos de upl e download. O gateway também permite que dados de sensores IoT possam chegar aos seus destinos.

Zonas[editar]

São áreas cobertas por uma rede rádio LoRa Meshtastic. Na rede deflora existem de momento três zonas, em que os dispositivos não se comunicam entre elas via radio. (ver qthmap meshtastic portugal)

Membros[editar]

Os subscritores da rede que contribuem com uma taxa de 50 euros uma única vez, podendo ser pagos em mensalidades até dois anos (€1,5/mês) são oficializados Membros. A qualidade de membro é vitalícia. Dá acesso ilimitado à rede, prioridade máxima nas comunicações, suporte personalizado, um cartão e um emblema. O protocolo de suporte é efetivado diretamente pela rede rádio, tendo os membros acesso a ponte via telegram, irc ou mqtt (internet). A prioridade no encaminhamento das mensagens resulta de limitações atuais do Meshtastic que obrigam a rede a ter de deixar certos recursos disponíveis ao serviço dos membros subscritores por um lado; por outro pressionar a construção de novos e muitos nodes comunitários. Não existe limite de dispositivos por membro, desde logo porque uma das razões para entrar na rede é encaminhar informação IoT até à internet. Mais de dois dispositivos móveis ou quatro sensores sao considerados duplicaçao de subscriçao.

Subscrição[editar]

A subscrição à rede é gratuita, sendo asseguradas as comunicações de emergência e um número limitado mensagens. Nesta opção, apenas é necessário o registo no portal e um qualquer equipamento compatível, adquirido ou construído pelo próprio. Essa subscriçao a que chamamos Meshtastic Portugal e necessaria por forma a serem aceites os termos e condiçoes que permitem a Meshtastic funcionar em Portugal de forma organizaçao e cooperante.

Para acesso a mais ferramentas, aos nodes comunitários, suporte personalizado, prioridade nas mensagens, email pela mesh, é necessário subscrever a rede com o pagamento acima referido. Conjuntamente com a aquisição de equipamento é possível obter desconto na aquisição da "chave" de membro da rede DeFLoRa, através de um dos seguintes pacotes:

  • Pacote Mayday – Membro da rede (40 euros – desconto de 20%), um novelo totalmente autónomo com painel solar, bateria e caixa (75 euros), mais um cliente em opção entre um T-Echo (80 euros), um T-beam (50 euros) ou um Lora32 (30 euros). – pacote completo com um equipamento portátil e um novelo autónomo, indicado para iniciados.
  • Pacote Modular: Membro da rede (45 euros – desconto de 10%), um novelo totalmente autónomo com painel solar, bateria, caixa e cabos (75 euros). – apenas um dispositivo, que pode ser colocado em qualquer lado, indicado para upgrade ou entrada como membro.
  • Pacote Pé de Sola: Membro da rede (50 euros) e um cliente pelos preços indicados. – apenas um dispositivo com caixa e não autónomo, ideal para experimentação da tecnologia.
  • Pacote gratuito: Subscrição à rede, com comunicação de mensagens ou IoT em qualquer das bandas (433 ou 868 Mhz), acesso ao canais públicos e à rede de emergência. Limite de mensagens. Sem suporte.


Meshtastic Portugal[editar]

Organizado em volta do canal LongFast por defeito, este grupo pretende reunir a parte publica da mesh onde curiosos e iniciantes realizam testes e se inteiram das potencialidades destes dispositivos. E composta pelos nodes privados, pelos clientes e pelos próprios nodes comunitários que reencaminham mensagens nesse canal e permitem o contacto direto entre operadores.

Financiamento[editar]

A rede assenta nos nodes colocados nos locais estratégicos, e que têm um custo aproximados de 75 euros. Sem eles, não existe rede. Embora os novelos privados ajudem na rede, sem nodes comuitários este projecto fracassa. Daí que é importante entender que os nodes comunitários são o core desta organização. Torna-se membro da rede “deflora”, quem contribuir com 50 euros ou mais para a rede. Esta qualidade é vitalícia e de serve para custear um node 100% autónomo e colocado em local estratégico. O valor reverte direta e totalmente para a construção dos nodes comunitários. O trabalho envolvido na construção e especialmente na manutenção da rede não é remunerado. No entanto quem executa tarefas para os Macanudos, para a rede DeFLoRa e para a comunidade, adquire um emblema DEV e, como responsável pelo seu projecto/tarefa participa na organização e disposição dos novelos.

Suporte[editar]

Na rede DeFLoRa, o suporte é efectivado pelo canal #suporte. Este canal dentro da mesh, ou nas suas pontes, só está acessivel aos subscritores da rede. Todo o subscritor terá acesso às pontes para o telegram e IRC, e mais.

Online: o suporte desta rede LoRa pela internet é realizado através de um chat no servidor IRC #deflora no servidor de IRC dos Macanudos e do Mumble Deve ter consigo o cartão de membro para suporte urgente.


Emergência[editar]

Não é finalidade desta rede servir pedidos de socorro, no entanto em caso de falha das comunicações, além do promovido plano 333, a rede DeFLoRa tem um canal “333” ao dispor, a funcionar independente de qualquer internet, satélite ou cabo. Ou seja o plano 333 aplica-se ao canal “333” dentro da rede Meshtastic Portugal (saber mais sobre o plano de rádio comunicações de emergência).

Busca e Salvamento[editar]

E conhecido o pontencial pratico destes equipamentos e rede para situações de busca e salvamento. Estamos a referir-nos a capacidade dos aparelhos de nao só passar dados de localização como também calcular trajetórias, velocidades, direcçao (heading).

Equipamentos[editar]

Os equipamentos fornecidos já vêm programados e configurados para a rede, com os canais extra e as prioridades máximas. Configuramos ao sabor do cliente. Todos os dispositivos são universais podendo servir qualquer outra função futura que venha a ter necessidade. Existe um projecto de retoma dos equipamentos que funcionará na base de recolocação de equipamentos inactivos.

Termos e condições[editar]

Telegram[editar]

O Telegram é um grupo privado exclusivo para Subcritores da Rede. A aceitação dos termos de participação no Telegram - DeFLoRa implica a aceitação prévia dos próprios termos da subscrição à rede. Neste grupo, é possível obter suporte dedicado apenas aos subcritores, aceder à mesh e aos seus dispositivos pelo que acesso é privado e não pode ser transferido ou copiado para outra pessoa. É possível enviar mensagem para este canal e à rede de forma anónima, desde que seja subscritor. Portanto, a privacidade dos membros é assegurada dentro da rede privada.

Firmware[editar]

Alterações para a proxima versão

- Pin BT 123456 (T-Beam)

- Max Hops 7

MQTT[editar]

Este serviço não é prioridade deste projecto, no entanto porque permite ligar dispositivos rádios que não se vêem pela internet tem importancia tanto para os clientes, que podem querer ligar dispositivos seus que não teem alcance rádio via net; como para os routers e zonas, que dessa forma conseguem localizar equipamentos fora do seu raio de alcance.

O uso do MQTT é opção dos clientes nas sua totalidade de upload e download. Se um cliente pretender ligar o seu aparelho ao MQTT do macanudos poderá ligá-lo qual qualquer opção de só upload, só download ou ambos. Com o mqtt dos macanudos poderá aceder à rede a partir da internet, permitindo a um cliente de participar e reforçar a mesh, longe do alcance de um rádio. O mqtt permite o registo de dados ou sensores IoT simultâneamente com o acesso à mesh. É proibido injectar no mqtt dos macanudos mais dispositivos que os recebido por rádio, tal operação resultará no bloqueio do ip injector.

mqtt.macanudos.org user: macanudos pass: macanudos

=MQTT Deflora[editar]

É um servidor privado de mqtt que serve para ligar zonas (zonas são grupos de rádios meshtastic que estão em mesh) e para servir as necessidades dos subscritores da rede.

user: pass:

qr[editar]

https://meshtastic.org/e/#CgUSA5nsXgoQEgmZpxqe52izffcaAzMzMwoUEgmx6eFqy6miu14aB3N1cG9ydGUKFBIJmacanudos333Ggdyb2RpbmhhEgoIATgCQAdIAVAM